sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Demonstração da abordagem pictórica na representação da luz


Neste trabalho de estruturação das grandes massas, sem avançar para estágios de maior refinamento, o objetivo foi registrar a incidência da luz (pela anotação d...os valores) alternando com as marcações dos espaços (estrutura do desenho). Diferentemente da abordagem usual, no estilo pictórico, não existe cisão dicotômica ou estanque entre desenho, entendido como representação da forma por meio de contorno, e pintura, como aplicação de cores dentro de uma escala tonal para fazer sombreamento.
Um dos aspectos mais intrigantes desse tipo de construção reside na sua capacidade ou mesmo exigência de o executor abrir mão de mecanismos racionais (via cálculo ou medição) que garantam o êxito do resultado. O compromisso com o processo torna-se pré-requisito indispensável para que prevaleça a postura de interação momento a momento com a obra, abandonando práticas nas quais a segurança, a certeza e previsibilidade sejam qualidades intrínsecas. Mas é dessa forma que a exploração da realidade da prática representa adentrar um campo obscuro, instável, com seus interstícios sutis e indizíveis. Ao aceitar o caos para administrá-lo, a obra nasce como produto e exteriorização dessa relação.es massas, sem avançar para estágios de maior refinamento, o objetivo foi registrar a incidência da luz (pela anotação d...os valores) alternando com as marcações dos espaços (estrutura do desenho). Diferentemente da abordagem usual, no estilo pictórico, não existe cisão dicotômica ou estanque entre desenho, entendido como representação da forma por meio de contorno, e pintura, como aplicação de cores dentro de uma escala tonal para fazer sombreamento.
Um dos aspectos mais intrigantes desse tipo de construção reside na sua capacidade ou mesmo exigência de o executor abrir mão de mecanismos racionais (via cálculo ou medição) que garantam o êxito do resultado. O compromisso com o processo torna-se pré-requisito indispensável para que prevaleça a postura de interação momento a momento com a obra, abandonando práticas nas quais a segurança, a certeza e previsibilidade sejam qualidades intrínsecas. Mas é dessa forma que a exploração da realidade da prática representa adentrar um campo obscuro, instável, com seus interstícios sutis e indizíveis. Ao aceitar o caos para administrá-lo, a obra nasce como produto e exteriorização dessa relação.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Estudo sucinto sobre essência visual

Uma boa forma, concisa e rápida, de estudar ou capturar a essência visual do objeto é combinar o gestual de linhas com o gestual de massas. A curiosidade do método consiste no uso das massas que não capturam nem volume ou luz e o uso de linhas que não coincidem com forma tridimensional. Tanto o foco  quanto o trabalho prático/mental têm como conceito a sugestão da forma e a manipulação da informação como imagem emancipada do objeto.

1a. camada com o todo das massas e a estrutura do desenho

2a. camada com a colocação das interrupções que sugerem forma, mantendo-se no essencial

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Estudo de ordenamento de shapes e representação do fluxo de luz

Continuo fazendo estudos no carvão antes ou depois de estruturar no óleo colorido com o intuito de manter o ordenamento na colocação das massas, evitando assim aquelas duas atitudes dicotômicas mais corriqueiras: "jogar" as massas na tela ou no papel (para ver depois o que se vai fazer) ou imitar de forma descritiva os claros e escuros que se vê no modelo. Trata-se de um excelente exercício para manter a mente mais "afiada" para resolver questões relativas à borda, mapeamento dos shapes, escala tonal, luz, e subsequentemente poder focar com mais concentração as múltiplas dimensões do óleo, técnica tão exigente e complexa por sua quantidade imensa de variáveis.

Carvão e lápis branco sobre papel kraft, 2016

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Estudo de estrutura das massas no óleo colorido

O conceito do exercício foi de desdobrar as bases a partir de uma paleta de cores frias, basicamente a família do roxo/lilás e verde azulado, num arranjo tonal restrito. A grande tendência, do ponto de vista negativo, é de elas se tornarem sujas ao tentar "temperá-las". A solução foi de trabalhar num nível de pastosidade maior, muito bom por exigir um grau de destreza maior.








2016.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Gestual em carvão com estrutura do desenho e anotação de luz

Uma boa forma de exercitar mentalmente o desenho é praticar uma base rápida no gestual mas sem se ocupar com o refinamento das massas para representar a luz. Em seu lugar, deixam-se "anotadas" as marcações de luz sinteticamente com hachuras de tom alto. O refinamento fica por conta da manipulação da leitura que configuram a fisionomia. 

Estrutura do desenho com anotações dos espaços pelo uso de massas.

Estudo finalizado pela sobreposição de shapes menores, trabalho de borda, pequenos toques claros e escuros.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Estudo de estruturação das massas e sobreposição de shapes menores

Neste exercício, com pigmentos preto, branco e um terra (para esquentar a paleta), o escopo foi de avançar na direção da sobreposição de planos menores, tendo em mente a interação de camadas, a luz e o trabalho de borda.


Óleo sobre papel, 2016.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Um Retrato de Giacometti...

Tive a vontade de fazer o desenho do pintor e escultor após ler o livro "Um retrato de Giacometti", de James Lord. Conta a trajetória do que deveria ser inicialmente um simples esboço e se transforma numa verdadeira saga, uma busca impossível pela sensação visual que o pintor tinha da realidade. Enriquecedor e instigante por revelar a entrega do pintor à prática do ofício, sem concessões. Muito bom, pelo menos para mim, por servir de alternativa ao status quo artístico, mundo em que a arte deve servir narcisicamente em primeiro lugar ao artista...





Giacometti, carvão em papel vergê, 2016

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Representação do corpo humano pelo sistema gestual

Uma das questões que mais me intrigava desde 2003 era a possibilidade de construir a figura humana sem recorrer ao sistema linear acadêmico, caracterizado por um viés racional de medição, tanto pelo uso de ângulo da linha como do cálculo da proporção. O sistema gestual, apesar da ausência da "precisão mecânica" (tipificação elaborada por Harold Speed), tornou-se um caminho mais instigante, justamente por seu caráter indeterminado e imprevisível em termos de resultado.


Carvão e lápis pastel branco, 2016

Seguir por Email